Amazon reduz equipe de serviço de computação em nuvem

A Amazon vai demitir centenas de funcionários da Amazon Web Services (AWS), seu serviço de computação em nuvem. A medida visa cortar custos e, segundo o The Wall Street Journal, é sua última rodada de demissões.

A AWS determinou a saída de profissionais das áreas de vendas, marketing e serviços globais, além de outra centena de funcionários de tecnologia das lojas físicas, que foca nos sistemas subjacentes aos seus programas de Just Walk Out (checkout sem caixa, em tradução livre).

Leia mais:

Amazon demite funcionários da AWS

  • Na terça-feira (2), a Amazon já havia anunciado a remoção do Just Walk Out de seus supermercados Amazon Fresh nos EUA para substituí-la por outra tecnologia;
  • Já um porta-voz da AWS informou que a empresa identificou áreas que precisam ser simplificadas;
  • Ele disse, ainda, que a companhia está efetuando contratações de profissionais para suas principais áreas de negócios;
  • “Essas decisões são difíceis, mas necessárias, à medida que continuamos a investir, contratar e otimizar recursos para oferecer inovação para nossos clientes”, afirmou;
  • A computação em nuvem catapultou o lucro da Amazon, apesar de ter demanda refreada em 2023, à medida que seus clientes corporativos reduziram gastos;
  • A empresa de Jeff Bezos trabalhou na promoção de seus esforços em inteligência artificial (IA), entre eles, um investimento de US$ 4 bilhões (R$ 20,15 bilhões, em conversão direta) na Anthropic, dona do chatbot de IA Claude;
  • Informações do ano passado fornecidas pelo WSJ indicou que a Anthropic se comprometeu a gastar essa mesma quantia na AWS nos próximos cinco anos.
Veja também  Confira o Olhar Digital News na íntegra
Amazon Web Services - AWS
Imagem: Michael Vi/Shutterstock

Boom de demissões em tecnologia

E não foi só a Amazon que demitiu pessoal. Várias outras empresas do setor, como Alphabet (Google), Microsoft e Salesforce, também fizeram isso este ano.

Em janeiro, a Amazon fez cortes em outro nicho de mercado que atua: o de cinema e televisão. Seu estúdio e a Twitch sofreram as baixas em prol do corte de custos. A plataforma de streaming comprada pela companhia de Jeff Bezos em 2014 demitiu, na época, em torno de 500 empregados.

Sobre os cortes na AWS, a companhia indicou que os profissionais que foram desligados receberão salário e benefício por ao menos 60 dias, podendo, ainda, receberem indenizações.

O post Amazon reduz equipe de serviço de computação em nuvem apareceu primeiro em Olhar Digital.

Powered by WPeMatico

Origem da Notícia
https://olhardigital.com.br/2024/04/03/pro/amazon-reduz-equipe-de-servico-de-computacao-em-nuvem/
Autor: {autor}

A Amazon vai demitir centenas de funcionários da Amazon Web Services (AWS), seu serviço de computação em nuvem. A medida visa cortar custos e, segundo o The Wall Street Journal, é sua última rodada de demissões.

A AWS determinou a saída de profissionais das áreas de vendas, marketing e serviços globais, além de outra centena de funcionários de tecnologia das lojas físicas, que foca nos sistemas subjacentes aos seus programas de Just Walk Out (checkout sem caixa, em tradução livre).

Leia mais:

Amazon demite funcionários da AWS

  • Na terça-feira (2), a Amazon já havia anunciado a remoção do Just Walk Out de seus supermercados Amazon Fresh nos EUA para substituí-la por outra tecnologia;
  • Já um porta-voz da AWS informou que a empresa identificou áreas que precisam ser simplificadas;
  • Ele disse, ainda, que a companhia está efetuando contratações de profissionais para suas principais áreas de negócios;
  • “Essas decisões são difíceis, mas necessárias, à medida que continuamos a investir, contratar e otimizar recursos para oferecer inovação para nossos clientes”, afirmou;
  • A computação em nuvem catapultou o lucro da Amazon, apesar de ter demanda refreada em 2023, à medida que seus clientes corporativos reduziram gastos;
  • A empresa de Jeff Bezos trabalhou na promoção de seus esforços em inteligência artificial (IA), entre eles, um investimento de US$ 4 bilhões (R$ 20,15 bilhões, em conversão direta) na Anthropic, dona do chatbot de IA Claude;
  • Informações do ano passado fornecidas pelo WSJ indicou que a Anthropic se comprometeu a gastar essa mesma quantia na AWS nos próximos cinco anos.
Veja também  “Neurônios zumbi” revelam detalhes sobre como cérebro aprende
Amazon Web Services - AWS
Imagem: Michael Vi/Shutterstock

Boom de demissões em tecnologia

E não foi só a Amazon que demitiu pessoal. Várias outras empresas do setor, como Alphabet (Google), Microsoft e Salesforce, também fizeram isso este ano.

Em janeiro, a Amazon fez cortes em outro nicho de mercado que atua: o de cinema e televisão. Seu estúdio e a Twitch sofreram as baixas em prol do corte de custos. A plataforma de streaming comprada pela companhia de Jeff Bezos em 2014 demitiu, na época, em torno de 500 empregados.

Sobre os cortes na AWS, a companhia indicou que os profissionais que foram desligados receberão salário e benefício por ao menos 60 dias, podendo, ainda, receberem indenizações.

O post Amazon reduz equipe de serviço de computação em nuvem apareceu primeiro em Olhar Digital.

Powered by WPeMatico

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: