Após 13 anos, açude Gargalheiras inicia sangria e leva alegria ao sertanejo


Transbordo não acontecia desde maio de 2011, e, nesse período, reservatório chegou a ficar seco. Moradores de Acari estavam em vigília desde segunda (1º) à espera da sangria. Açude Gargalheiras inicia sangria após 13 anos
Após 13 anos, o açude de Gargalheiras, na cidade de Acari, na Região Seridó do Rio Grande do Norte, iniciou a sangria por volta das 23h30 desta quarta-feira (3). A última última vez que isso havia acontecido foi em maio de 2011.
No Gargalheiras, o transbordo acontece por uma parede de mais de 20 metros, proporcionando o que os sertanejos da região chamam de “véu de noiva” quando há a queda d’água, mas esse espetáculo ainda não começou.
Apesar da sangria ainda tímida, houve fogos, orações e muita comemoração no local. Centenas de pessoas aguardavam a sangria às margens do Gargalheiras.
Açude Gargalheiras sangrando na manhã desta quinta-feira (4)
Hugo Andrade/Inter TV Cabugi
O Gargalheiras foi cenário do filme brasileiro “Bacurau”, quando estava completamente seco (veja mais abaixo) e é patrimônio histórico, geográfico, paisagístico, ambiental e turístico do Rio Grande do Norte.
📳Participe do canal do g1 RN no WhatsApp e receba no seu celular as notícias do estado
Açude Gargalheiras inicia a sangria
‘Vigília’
Desde a segunda-feira (1º), moradores da cidade de Acari e da Região Seridó do estado faziam uma espécie de “vigília” às margens do açude à espera da sangria. Na madrugada desta quarta-feira (3), por exemplo, houve forró, churrasco e até festa de aniversário no local.
População passa noite à espera de sangria de açude no RN
O açude de Gargalheiras tem capacidade para armazenar mais de 44 milhões de metros cúbicos de água. Para se ter ideia do tamanho desse reservatório, ele é suficiente para abastecer uma população de 56 mil pessoas por cerca de 4 anos.
Período de seca e cenário de ‘Bacurau’
Desde a última sangria, em 2011, o Gargalheiras passou por momentos difíceis com a falta de chuvas na região, chegando a ficar completamente seco em alguns momentos entre os anos de 2017, 2018 e 2019.
Num desses momentos sem água, o açude serviu de cenário para o filme brasileiro “Bacurau”, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, lançado em 2019.
Kleber Mendonça, inclusive, compartilhou em uma rede social imagens que mostram o Gargalheiras em 2018, durante as gravações do filme, e neste mês de abril de 2024 (veja abaixo).
Initial plugin text
LEIA TAMBÉM
JANEIRO DE 2021: Açude Gargalheiras virou patrimônio histórico do RN
NO SERIDÓ: Saiba como chegar ao açude Gargalheiras no Seridó potiguar
Açude Gargalheiras em 2015 e 2024
Initial plugin text
40 dias: do 1% à sangria
Em cerca de 40 dias, o açude de Gargalheiras saiu de 1% de volume de água para a sangria. Em 22 de fevereiro, o açude tinha 1,63% do volume de água, de acordo com o Instituto de Gestão de Águas do RN (Igarn).
No relatório semanal mais recente divulgado pelo instituto, na quinta-feira passada (28), o Açude Gargalheira apresentava 36% de acúmulo de água – e esse já era o maior volume registrado no reservatório desde 2012.
Além das chuvas que caíram nos últimos dias no estado, o aumento no nível do Gargalheiras foi impulsionado também pela sangria do Açude Dourado, em Currais Novos, que levou parte da água para o açude de Acari.
Segue expectativa para sangria do Açude Gargalheiras, em Acari
Vídeos mais assistidos do g1 RN

Veja também  Sine no AP oferta empregos em 12 áreas para Macapá nesta terça-feira (2)

Powered by WPeMatico

Origem da Noticia
https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/2024/04/04/apos-13-anos-acude-gargalheiras-inicia-sangria-e-leva-alegria-ao-sertanejo.ghtml
Autor: {authorlink}

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: