Autor de agressão e injúria racial contra lutador de Taekwondo da seleção é solto: ‘Achei inadmissível’, diz atleta


Conhecido como “Mussum”, o atleta estava abraçado com amiga branca em estação da CPTM quando foi agredido. Justiça concedeu liberdade provisória. Lutador da Seleção Brasileira sofre injúria racial em estação de trem
Reprodução/TV Globo
O homem, preso em flagrante por agressão e injúria racial contra o lutador da Seleção Brasileira de Taekwondo, Gabriel Campolina Santos, foi solto após audiência de custódia realizada nesta quinta-feira (16).
Conhecido como “Mussum”, o atleta estava abraçado com a amiga branca na estação São Caetano do Sul, da linha 10-Turquesa da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), na Grande São Paulo, quando sofreu o ataque, na terça (14).
A Justiça concedeu a liberdade provisória ao acusado, identificado como Matheus Cerqueira Santana, mediante o cumprimento de medidas cautelares, como o comparecimento mensal em juízo, a proibição de mudar de endereço ou de se ausentar da cidade por mais de sete dias sem prévia autorização do juízo e o recolhimento domiciliar nos finais de semana.
“Eu achei sinceramente que ele ia ficar preso. Achei isso algo inadmissível, porque algo dessa magnitude. Se ele tivesse com uma faca, podia ter me atacado pelas costas. Podia ser com qualquer outra pessoa. E se uma pessoa não soubesse se defender?”, comentou o lutador em entrevista à TV Globo. Clique aqui para se inscrever no canal do g1 SP no WhatsApp
Na terça, momentos antes do início das agressões, o atleta, de 23 anos, estava sentado com a companheira de treino, aguardando a chegada de outros amigos.
“A gente estava conversando e, aleatoriamente, veio uma pessoa e deu uma voadora nas minhas costas, que atingiu tanto eu quanto ela. Só me defendi por motivo de segurança. Eu não sabia o que ele podia fazer. Eu dei um golpe nele, dei uma joelhada”, relembra.
Mesmo reagindo, Gabriel conta que se desculpou e procurou entender o motivo do ataque. Entretanto, a resposta do autor, de 20 anos, foi uma declaração racista.
Em seguida, o homem foi agredido e contido por pessoas que presenciaram a briga, que ocorreu próximo à catraca da estação. O grupo também o confrontou sobre a atitude racista (veja as imagens abaixo).
Homem é contido após ofender lutador da seleção brasileira com termos racistas
O autor foi preso em flagrante e levado à Delegacia de São Caetano do Sul por guardas municipais. O caso foi registrado como lesão corporal e injúria racial, segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP).
Procurada, a CPTM alegou que o ato ocorreu fora da área administrada por eles e não quis comentar o caso.
Gabriel ainda relatou que foi procurado pela família do agressor na delegacia e ouviu um pedido de desculpas. “A mãe dele conversou comigo, me pediu perdão, e disse que não reconhecia o filho dela”.
Nas redes sociais, o atleta ainda agradeceu o apoio dos seguidores. “Eu estou bem. Não sofri nenhuma lesão. Apenas me defendi dos golpes que esse indivíduo tentou acertar em mim. Eu estou bem, estava com uma companheira de treino, esperando meus companheiros de treino no metrô. E eu nunca vi isso na minha vida”, desabafou.
A Confederação Brasileira de Taekwondo também publicou uma nota em repúdio ao episódio. “A discriminação racial não só fere a dignidade humana, mas também vai contra os valores de justiça e igualdade que buscamos promover em nossa comunidade. Repudiamos veementemente qualquer forma de preconceito, seja ele racial, étnico, religioso ou de qualquer outra natureza”.
“Expressamos nossa solidariedade ao atleta Gabriel Campolina dos Santos e reiteramos nosso compromisso em combater ativamente o racismo e todas as formas de discriminação. É dever de todos nós lutar por uma sociedade mais justa e inclusiva, onde todos possam viver livremente, sem medo de serem alvo de ódio e intolerância. Devemos agir firmemente para garantir que casos como este não se repitam, e que os culpados sejam responsabilizados conforme a lei”, afirma a nota.
Até a última atualização da reportagem, a defesa de Matheus não foi localizada.
Lutador da Seleção Brasileira Gabriel Campolina Santos é agredido por homem branco em estação
Reprodução/Redes sociais

Veja também  Juninho declara voto em Alane, no BBB 24, e explica: 'Tentou queimar meu filme'

Powered by WPeMatico

Origem da Noticia
https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2024/05/16/autor-de-agressao-e-injuria-racial-contra-lutador-de-taekwondo-da-selecao-e-solto-achei-inadmissivel-diz-atleta.ghtml
Autor: {authorlink}

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: