‘Cidade do Jazz’ realiza primeiro workshop e mostra de fanfarras de escolas de Manaus

Ação une música, arte, juventude e desenvolvimento local. Ação une música, arte, juventude e desenvolvimento local
Fundação Rede Amazônica/ Ingrid Anne
A nova temporada do projeto Cidade do Jazz realiza o primeiro Workshop e Mostra de Fanfarras com alunos de diferentes escolas da rede pública de ensino de Manaus. A ação une música, arte, juventude e desenvolvimento local.
Para a Mostra foram selecionados sete grupos de música – entre bandas marciais e fanfarras da cidade – que receberão uma bolsa para ajudar na logística e nos ensaios da apresentação, além de participarem de um workshop gratuito com músicos profissionais locais.
A mostra é gratuita, aberta ao público e acontece no dia 23 de julho, a partir das 17 horas no Parque Rio Negro, na Orla do bairro São Raimundo, Zona Oeste da capital.
A presença de bandas marciais e fanfarras nas escolas é uma forma de inclusão social e revelação de talentos, além de ser uma importante ferramenta para o desenvolvimento dos estudantes em aspectos como trabalho em grupo, disciplina, foco e a própria iniciação musical.
Além de estimular a estruturação dessas iniciativas por meio de bolsas distribuídas às iniciativas selecionadas, o projeto propõe aos integrantes/participantes uma nova experiência a partir do contato com o Jazz, estilo criado em Nova Orleans, nos Estados Unidos, mas que adotou Manaus como casa desde a criação de um dos mais importantes festivais do gênero: o Amazonas Green Jazz Festival.
A cidade de Manaus registra atualmente cerca de 25 bandas marciais e fanfarras, a maior parte é vinculada às escolas municipais e estaduais da rede pública de ensino. Ao oferecer oportunidade de divulgação e visibilidade a esses grupos musicais, o ‘Cidade do Jazz’ busca incentivar e estimular a valorização dessas iniciativas.
Sobre o Processo de Curadoria
Para auxiliar na escolha dos grupos que integram as atividades, a Fundação Rede Amazônica contou com apoio da CIRFABAM – Cooperativa dos Instrutores e Regentes de Fanfarras e Bandas do Amazonas, representada pelo artista-educador e percussionista manauara Stivisson Menezes.
Ao fim Foram selecionados os coletivos com maior abrangência e reconhecimento dentro desse cenário, são eles: a fanfarra fênix, da escola estadual presidente castelo branco; a banda marcial petrônio portella, da escola estadual senador petrônio portella; a banda marcial vicente de paula, da escola municipal vicente de paula; a banda marcial júlio césar, da escola estadual júlio césar de moraes passos, a fanfarra ernesto pinho, da escola estadual ernesto pinho filho; a banda musical maestro borges, da escola estadual estelita tapajós e; e a banda marcial cmpm viii, da escola estadual coronel pedro câmara.
Mulheres em destaque
Entre as bandas escolhidas para a Mostra de Fanfarras do Cidade do Jazz, uma merece destaque por sua formação única composta somente por mulheres: a banda Maestro Borges, uma das mais antigas da cidade, formada em 1970 pelo maestro que dá nome à banda, falecido em 1995, e hoje conta com aproximadamente 50 integrantes lideradas por Nonata Mendonça, que também entrou na banda como aluna.
Sobre o Cidade do Jazz
Realizado desde 2020, o projeto Cidade do Jazz usa diferentes linguagens e mídias para celebrar e difundir a arte, levando o gênero musical a pessoas e comunidades que dificilmente teriam acesso a ele, por diferentes tipos de barreiras sociais, econômicas etc.
O evento surgiu como uma proposta de extensão do Amazonas Green Jazz Festival, com o objetivo de levar a experiência do Jazz para locais não atendidos pelo evento, além de potencializar a difusão cultural e a promoção do ecossistema artístico amazonense.
Vídeos mais assistidos no Amazonas

Go to Source
Author:

Veja também  Robinho chega à penitenciária de Tremembé (SP); ele vai cumprir pena de 9 anos em regime fechado por estupro

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: