EUA estão perto de aprovar uma das mais rigorosas leis sobre privacidade de dados

A Assembleia Geral do estado de Vermont, nos Estados Unidos, acaba de aprovar uma das mais fortes leis de proteção de dados do país.

Segundo o texto, as empresas não podem mais usar livremente informações pessoais dos cidadãos de Vermont, sob pena de serem processados por eles.

Leia mais

O projeto proíbe ainda a venda de dados confidenciais, como números de seguridade social e carteira de motorista, informações financeiras ou de saúde. Também estabelece limites significativos para a quantidade de dados pessoais que as empresas podem coletar e usar.

Segundo a deputada estadual Monique Priestley, a iniciativa vai ajudar a proteger as pessoas num mundo em que tudo é monetizado. Ela explica que os procuradores-gerais estaduais não têm recursos suficientes para chegar a todas as violações – e é por isso que o próprio povo terá autonomia para entrar com processos civis.

Se houver uma violação e uma pessoa quiser processar, a empresa terá 60 dias para solucionar o problema.

Rawpixel.com/Shutterstock

Governador contra

  • Vale destacar que, apesar de ter sido aprovados pelos deputados de Vermont, o projeto ainda não foi sancionado pelo governador Phil Scott.
  • Primeiro porque ele é republicano, e a maioria do Legislativo é democrata.
  • E segundo porque ele está preocupado com os comerciantes locais.
  • Ele diz entender a preocupação com a privacidade, mas disse que, do jeito que a lei está, vai acabar punindo os pequenos comerciantes.
  • Ele alega que as big techs não terão grandes problemas em lidar com o novo dispositivo, já que possuem uma gigantesca equipe jurídica e vão saber quais são os “dados certos” que podem ser comprados.
  • Já os negócios menores enfrentarão maior dificuldade, segundo o governador.
  • Podem comprar “dados errados” por engano e ainda terão de arcar com processos e mais processos – sem dinheiro para suportar tudo isso.
Veja também  Coritiba x Fluminense: onde assistir, horário e escalações do jogo pelo Brasileirão
Dia da Privacidade de Dados: Veja 06 dicas de como proteger os seus dados e se tornar o seu próprio defensor da privacidade
Imagem: Alexander Supertramp (Shutterstock)

EUA se mobilizam em torno do tema

As duas partes dialogam agora para tentar chegar a um denominador comum.

Se o governador assinar o projeto, grande parte dele começa a valer já em 2025. A capacidade dos consumidores de processar, porém, entraria em vigor apenas em 2026 e expiraria em 2028. A ideia é fazer um teste de dois anos para ver como será a experiência.

Vale destacar que pelo menos 10 estados americanos já criaram leis específicas sobre proteção de dados.

Essa de Vermont foi aprovada uma semana depois de o governador de Maryland sancionar duas medidas destinadas a proteger melhor os dados pessoais das big techs.

Um dos projetos de lei tenta criar limites às informações coletadas de crianças. Já a outra lei de Maryland visa criar proteções e direitos ao consumidor, bem como obrigações às empresas coletoras de dados. Algo na linha do que lemos agora.

As informações são da ABC News.

O post EUA estão perto de aprovar uma das mais rigorosas leis sobre privacidade de dados apareceu primeiro em Olhar Digital.

Powered by WPeMatico

Origem da Notícia
https://olhardigital.com.br/2024/05/15/seguranca/eua-estao-perto-de-aprovar-uma-das-mais-rigorosas-leis-sobre-privacidade-de-dados/
Autor: {autor}

A Assembleia Geral do estado de Vermont, nos Estados Unidos, acaba de aprovar uma das mais fortes leis de proteção de dados do país.

Segundo o texto, as empresas não podem mais usar livremente informações pessoais dos cidadãos de Vermont, sob pena de serem processados por eles.

Leia mais

O projeto proíbe ainda a venda de dados confidenciais, como números de seguridade social e carteira de motorista, informações financeiras ou de saúde. Também estabelece limites significativos para a quantidade de dados pessoais que as empresas podem coletar e usar.

Veja também  Qual é o SUV mais barato do Brasil?

Segundo a deputada estadual Monique Priestley, a iniciativa vai ajudar a proteger as pessoas num mundo em que tudo é monetizado. Ela explica que os procuradores-gerais estaduais não têm recursos suficientes para chegar a todas as violações – e é por isso que o próprio povo terá autonomia para entrar com processos civis.

Se houver uma violação e uma pessoa quiser processar, a empresa terá 60 dias para solucionar o problema.

Rawpixel.com/Shutterstock

Governador contra

  • Vale destacar que, apesar de ter sido aprovados pelos deputados de Vermont, o projeto ainda não foi sancionado pelo governador Phil Scott.
  • Primeiro porque ele é republicano, e a maioria do Legislativo é democrata.
  • E segundo porque ele está preocupado com os comerciantes locais.
  • Ele diz entender a preocupação com a privacidade, mas disse que, do jeito que a lei está, vai acabar punindo os pequenos comerciantes.
  • Ele alega que as big techs não terão grandes problemas em lidar com o novo dispositivo, já que possuem uma gigantesca equipe jurídica e vão saber quais são os “dados certos” que podem ser comprados.
  • Já os negócios menores enfrentarão maior dificuldade, segundo o governador.
  • Podem comprar “dados errados” por engano e ainda terão de arcar com processos e mais processos – sem dinheiro para suportar tudo isso.
Dia da Privacidade de Dados: Veja 06 dicas de como proteger os seus dados e se tornar o seu próprio defensor da privacidade
Imagem: Alexander Supertramp (Shutterstock)

EUA se mobilizam em torno do tema

As duas partes dialogam agora para tentar chegar a um denominador comum.

Se o governador assinar o projeto, grande parte dele começa a valer já em 2025. A capacidade dos consumidores de processar, porém, entraria em vigor apenas em 2026 e expiraria em 2028. A ideia é fazer um teste de dois anos para ver como será a experiência.

Vale destacar que pelo menos 10 estados americanos já criaram leis específicas sobre proteção de dados.

Veja também  Como vender no Mercado Livre? Tudo o que você precisa saber

Essa de Vermont foi aprovada uma semana depois de o governador de Maryland sancionar duas medidas destinadas a proteger melhor os dados pessoais das big techs.

Um dos projetos de lei tenta criar limites às informações coletadas de crianças. Já a outra lei de Maryland visa criar proteções e direitos ao consumidor, bem como obrigações às empresas coletoras de dados. Algo na linha do que lemos agora.

As informações são da ABC News.

O post EUA estão perto de aprovar uma das mais rigorosas leis sobre privacidade de dados apareceu primeiro em Olhar Digital.

Powered by WPeMatico

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: