Gestão de Salgado critica ação de Pedrinho contra a 777: “Lança o Vasco numa aventura jurídica”


Em nota, ex-presidente e sua diretoria administrativa dizem que decisão põe em xeque aporte de R$ 270 milhões previsto para setembro e alegam que havia outras alternativas Em um comunicado assinado pela “Diretoria Administrativa CRVG Triênio 2021-2023, a gestão de Jorge Salgado critica a decisão de Pedrinho, atual presidente do Vasco, de acionar a 777 Partners judicialmente e tomar o controle da SAF por meio de uma liminar.
+ Álvaro Pacheco assina pré-contrato e deve chegar ao Vasco no domingo
Pedrinho diz que ação teve como objetivo proteger a Vasco SAF
Na nota, os antigos dirigentes colocam em xeque a obrigatoriedade da 777 de realizar o aporte de R$ 270 milhões inicialmente previsto para setembro, uma vez que os efeitos do contrato de investimento estão suspensos, e alegam que havia outras alternativas para resguardar o Vasco.
Eles, por outro lado, reconhecem que alguma ação deveria ser tomada diante das recentes notícias relacionadas à situação financeira da 777, mas acreditam que a questão poderia ser resolvida internamente.
Veja a íntegra do comunicado:
“Foi com enorme preocupação que recebemos a informação que, por solicitação do CRVG, foi obtida ontem a noite (15/5) uma decisão liminar, em primeira instância, suspendendo os efeitos do Contrato de Investimentos e do Acordo de Acionistas da Vasco SAF, assim como os direitos societários do investidor, devolvendo o controle da Vasco SAF ao clube associativo. Essa situação, sem precedentes, lança o Vasco da Gama numa aventura jurídica de consequências imprevisíveis, podendo colocar em risco, inclusive, a própria viabilidade das Sociedades Anônimas do Futebol.
Jorge Salgado, ex-presidente do Vasco
André Durão
O retorno do controle acionário da SAF para a associação, originado por ato monocrático da Diretoria Administrativa, reverte a decisão de profissionalização do futebol tomada pelo quadro social do CRVG, por ampla maioria, em duas Assembleias Gerais de sócios. O modelo de SAF absolutamente profissional, com sócio controlador externo, foi ratificado novamente pelos sócios do clube no pleito eleitoral de novembro passado, onde o candidato que venceu as eleições por ampla margem defendia a continuidade do modelo e o que foi derrotado pregava o rompimento do contrato da SAF. Com o clube associativo novamente do comando da SAF, muitos vascaínos se sentem assombrados com a possibilidade da volta de um passado sombrio que imaginavam sepultado.
Está claro, pelo noticiário a respeito da 777 Partners, que o CRVG tem justa razão para buscar resguardar seus direitos na sociedade. Em uma situação de normalidade empresarial, esses atos deveriam ser tomados no âmbito do Conselho de Administração da Vasco SAF, onde o sócio CRVG tem dois assentos e prerrogativas contratuais e estatutárias muito bem definidas para garantir seus direitos.
Causa muita preocupação que a suspensão, em caráter liminar pela justiça, dos efeitos do Contrato de Investimentos e do Acordo de Acionistas, que protegiam os direitos do CRVG, possa acabar gerando graves fragilidades para o clube num momento que o investidor tinha a obrigação líquida e certa de aportar de quase R$ 300 milhões em setembro próximo, sob pena de perder suas ações não integralizadas em definitivo. Essa seria uma solução contratual que permitiria um recomeço sem litígios e riscos reputacionais ou econômicos.
De nossa parte devemos esclarecer que durante nossa gestão a 777 Partners aportou a integralidade dos recursos previstos em contrato. É verdade que houve um atraso no pagamento do segundo aporte, que ensejou, inclusive, uma notificação do CRVG à 777 Partners, e que o mesmo foi quitado em seguida, com pagamento de juros. Também procede a informação que a Vasco SAF celebrou, no segundo semestre de 2022, um contrato de empréstimo com uma empresa do Grupo 777, sem o conhecimento ou aprovação do CRVG, o que ensejou diligente atuação dos nossos representantes que culminaram com a instituição de normativas internas que impedem que novos procedimentos dessa natureza sejam feitos sem a aprovação expressa do sócio CRVG. As informações sobre essa transação, que foi quitada com pagamento de juros, constam dos demonstrativos financeiros da Vasco SAF.
Como sócios e torcedores do Vasco expressamos nosso firme desejo que os sócios da Vasco da Gama SAF, CRVG e 777 Partners, iniciem imediatamente conversas francas, abertas e de boa fé para a busca de um entendimento que venha a encerrar o litigio judicial o mais rápido possível. E que nesse meio tempo, a diretoria profissional da Vasco da Gama SAF seja empoderada pelos sócios para continuar a gestão da companhia afastando qualquer risco de continuidade para seus negócios. Temos um técnico da equipe de futebol profissional a contratar, atletas que entram em campo em menos de uma semana e uma Instituição mais que centenária com uma missão a cumprir.
Rio de Janeiro, 16 de maio de 2024
Diretoria Administrativa CRVG
Triênio 2021-2023”
+ ✅Clique aqui para seguir o novo canal ge Vasco no WhatsApp
+ Leia mais notícias do Vasco
🎧 Ouça o podcast GE Vasco 🎧
Assista tudo sobre o Vasco no ge, na Globo e no SporTV:

Veja também  Nottingham Forest x West Ham - Campeonato Inglês 2023/24 - Ao vivo - globoesporte.com

Powered by WPeMatico

Origem da Noticia
https://ge.globo.com/futebol/times/vasco/noticia/2024/05/16/gestao-de-salgado-critica-acao-de-pedrinho-contra-a-777-lanca-o-vasco-numa-aventura-juridica.ghtml
Autor:

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: