Inter estima gastar “novo Borré” para recuperar CT e Beira-Rio e com logística e estadia; entenda


Clube avalia perdas iniciais e projeta até 90 dias para recuperar estádio e até 120 dias para voltar a utilizar o seu centro de treinamento, atingidos pela enchente em Porto Alegre À procura de novos locais para treinar e jogar, o Inter já tem uma estimativa inicial dos prejuízos causados pela enchente que atingiu suas estruturas em Porto Alegre. O clube avalia que pode gastar R$ 35 milhões com a recuperação do Beira-Rio e do CT do Parque Gigante, além de despesas com viagens, hospedagem e alimentação durante o período longe de casa.
+ Veja como ajudar as vítimas das enchentes no RS
Vice-presidente do Inter fala sobre estragos para reparos em CT e Beira-Rio após enchente
+ O ge está no WhatsApp! Siga o canal ge Inter
Para efeito de comparação, esse montante supera o que foi investido pelo clube para comprar o atacante Rafael Borré na atual temporada. O Colorado desembolsou o 6,2 milhões de euros (R$ 34,39 milhões na cotação atual) para tirar o colombiano do Eintracht Frankfurt, que serão pagos em três parcelas anuais.
– Nesse momento é muito difícil a gente ter assertividade em relação a valores. Mas esse número de R$ 35 milhões é uma ordem que a gente pode chegar incluindo esses custos operacionais extras que a gente vai ter não podendo jogar no Beira-Rio. Temos que avaliar o que aconteceu lá no CT e depois mensurar a questão de equipamentos. Então, sim, esse é um valor que podemos chegar — explicou o vice-presidente colorado, Victor Grunberg.
Veja também
+ Inter divulga imagens internas do Beira-Rio alagado; veja fotos
+ Direção avalia locais fora do RS e projeta 45 dias longe do Beira-Rio
+ Inter terá de replantar gramados do CT e do Beira-Rio; veja prazo
Gramado do estádio do Beira Rio volta a aparecer após alagamento
Além das reformas necessárias no estádio e no CT, os valores compreendem também reparos no ginásio Gigantinho e no CT Morada dos Quero-Queros, em Alvorada, na região metropolitana. A casa das categorias de base também foi afetada por alagamentos, embora de menor intensidade.
O CT Parque Gigante, local de treinos do grupo de Eduardo Coudet, ainda está tomado pelas águas 14 dias depois do início da cheia do Guaíba. O temor é de de perda total. Os gramados do complexo estão condenados. As áreas administrativa e da academia foram atingidas, mas somente após a água baixar o clube vai avaliar a real extensão dos prejuízos.
Centro de treinamento do Inter segue debaixo d’água em Porto Alegre
A maior quantia deve ser destinada ao Beira-Rio. Além do gramado, que precisará ser replantado, o primeiro nível do estádio foi atingido pelas águas, danificando toda a instalação elétrica, museu, vestiários, equipamentos elétricos e também eletrônicos.
Antes de tudo isso ser reparado, o estádio terá de passar por uma limpeza completa para evitar o risco de transmissão de doenças e pode ficar inoperante por até 90 dias. A previsão para a retomada dos treinamentos do grupo no Parque Gigante é ainda mais pessimista: até 120 dias ou mais.
– A gente imagina que, dentro de 30 dias, talvez 45 dias, a gente consiga fazer essa limpeza do estádio e a reconstrução da parte de mobília, parte elétrica. A gente sabe que esse mercado vai estar muito demandado, tem muita gente precisando reconstruir – diz Grunberg.
– Então, a gente estima um prazo de 45, até 90 dias para que essas áreas sejam reconstruídas. E o nosso CT, quando a água baixar, para que a gente consiga mensurar o que aconteceu lá, talvez esse prazo seja de até 120 dias ou mais – acrescenta.
Alagamento no Beira-Rio atingiu duas fileiras de cadeiras
Divulgação/Comunicação Internacional
Durante todo esse período longe do Beira-Rio o clube terá que arcar com custos operacionais extras para jogar ou mesmo treinar em outros locais. As despesas incluem alimentação e hospedagem dos profissionais, além de gastos com viagens. A ideia da direção é pleitear alguma compensação da CBF para suportar essas despesas.
Nos últimos dias, o Inter foi procurado por outras equipes, que colocaram suas estruturas de treinamento e estádios à disposição do clube. Até o momento, porém, não definição sobre essa questão. Com a calculadora na mão, o Colorado trabalha para equacionar as contas e encontrar uma nova casa para um restante de temporada que promete ser atribulado.
Área interna do Beira-Rio após a enchente
Divulgação/Comunicação Internacional
🎧 Ouça o podcast ge Inter 🎧
+ Assista: tudo sobre o Inter no ge e na TV

Veja também  Bruno Mendes tem contrato renovado com o Guarani até dezembro de 2024

Powered by WPeMatico

Origem da Noticia
https://ge.globo.com/rs/futebol/times/internacional/noticia/2024/05/16/inter-estima-gastar-novo-borre-para-recuperar-ct-e-beira-rio-e-com-logistica-e-estadia-entenda.ghtml
Autor:

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: