Lázaro diz como controla obsessão pelo gol e explica por que “Palmeiras é f…”: “Luta até o fim”


Com dois gols e uma assistência nos últimos quatro jogos, atacante vive sua melhor fase no Verdão, solta frase icônica após vitória e rasga elogios ao ambiente e à força do elenco de Abel Veja o gol de Lázaro pelo Palmeiras contra o Cuiabá
Lázaro usou palavras como paciência e tranquilidade para justificar seu melhor momento no Palmeiras, com dois gols e uma assistência nos últimos quatro jogos. Mas ele admite que nem sempre foi assim.
+ Siga o ge Palmeiras no WhatsApp
Quando subiu da base no Flamengo, tinha uma obsessão por gols. Com tom de voz tranquilo durante a entrevista ao ge, o camisa 17 coçou a cabeça e sorriu ao resumir como se sentia quando era mais novo e passava em branco em um jogo.
– Ficava louco (risos).
– Às vezes até jogava bem, dava assistência, mas queria fazer gol, queria ser artilheiro do campeonato. Então, ainda mais quando era menor, se ficava dois jogos sem fazer gol, já ficava maluco. Mas são coisas boas, só que ao mesmo tempo precisa controlar. Foi uma coisa que acabou me prejudicando um pouquinho quando eu subi. Precisava um pouco da cabeça boa, da paciência – contou.
Relembre o gol de Lázaro contra o Independiente del Valle
Mais notícias do Palmeiras:
+ Veja o raio-x dos reforços do Verdão na era Anderson Barros
+ Escalação: Abel deve ter a volta de Veiga na Libertadores
Ele ainda se cobra por gols, mas não se deixa influenciar tanto. Isto pelo trabalho que faz com um coach e uma terapeuta, para exercitar justamente a paciência, sua aliada quando chegou no Palmeiras.
Lázaro, do Palmeiras, em entrevista na Academia de Futebol
Thiago Ferri
– Eu acho que o principal é você ter tranquilidade, confiar em si mesmo, então sei muito bem o que eu posso desempenhar, sei do meu potencial.
– Isso era uma coisa que eu comentei com a minha minha família: faltava o gol, né? Estava precisando do gol, tinham jogos que tive oportunidade para fazer e ainda não tinha saído. Desde pequeno eu tenho isso comigo.
– Os jogos que tive a oportunidade de fazer gol e não pude marcar, acabou ficando ali martelando porque é a mente, mas também sabendo controlar. Porém a psicologia, coach, ajudam bastante. Tem feito muito bem pra mim.
Lázaro, do Palmeiras, em entrevista na Academia de Futebol
Thiago Ferri
Aos 22 anos de idade, Lázaro foi emprestado pelo Almería, da Espanha, até dezembro, com a possibilidade de renovar o contrato por mais seis meses, de olho no Mundial de Clubes. Desde então, fez 15 jogos (seis como titular), além dos dois gols e assistência recentes.
– Tudo é questão de tempo. Venho trabalhando dentro de campo e fora, também, dando o meu melhor, o grupo e a comissão têm me ajudado também. Estou feliz, mas tem muita coisa pela frente ainda, espero que esse ano seja bastante especial não só para mim, mas para todos nós no Palmeiras – seguiu.
Por que o grupo é f…?
O primeiro gol do atacante pelo Palmeiras foi na épica virada contra o Independiente del Valle, no Equador, quando o time saiu perdendo por 2 a 0 na altitude de Quito.
Ainda no estádio do Del Valle, Lázaro respondeu que o elenco alviverde é “f…” mentalmente. Ao ge, ele trocou o palavrão por “top”, mas detalhou o que lhe chama tanto a atenção.
– Como eu falei uma vez no vestiário, são muitos jogadores bastante experientes e mesmo assim honram o seu nome, a sua história no futebol. Nós, jovens, a gente se inspira bastante neles, para que a gente possa continuar também honrando o nosso nome. Por nunca estar acomodado, nunca estar sentado na cadeira, na janela, como a gente fala, a gente sempre quer trabalhar mais – relatou.
– Esse grupo é uma coisa que desde quando cheguei eu percebi, é muito trabalhador, todo mundo quer dar o seu melhor, todo mundo tem a paciência, para quando tiver oportunidade de aproveitar.
Gol de Lázaro em Cuiabá x Palmeiras
Cesar Greco
As viradas que marcaram o Palmeiras, na opinião do atacante, fazem o elenco ganhar casca para a sequência da temporada.
Na Conmebol Libertadores, o Verdão pode garantir a classificação às oitavas nesta quinta-feira, quando visita o Liverpool, do Uruguai; na Copa do Brasil, joga por um empate contra o Botafogo-SP para avançar às oitavas de final, e no Brasileirão está a dois pontos do líder.
– Esse grupo realmente é muito top (risos). Agora, acompanhando de perto, esses jogos que são difíceis, a equipe consegue ter uma boa mentalidade, consegue estar focada em fazer o primeiro gol e depois acontecer o que aconteceu naturalmente. Fico bastante feliz de estar aqui no Palmeiras, honrando a camisa com esse grupo maravilhoso que luta até o final, que não desiste.
– Nesses jogos que a gente teve essa virada foi uma coisa que me impressionou bastante. E que tenha mais pela frente, que a gente consiga virar mais. É óbvio que sofrer é complicado, mas sofrendo e ganhando está bom (risos) – reforçou.
Queridinho de Abel, Estévão é a nova joia do Palmeiras
A amizade com os jovens
No dia a dia na Academia de Futebol, Lázaro tem Richard Ríos como um de seus melhores amigos, já que os dois se conhecem da base do Flamengo. Mas os garotos do Verdão também estão entre os mais próximos.
Quando surgiu no clube rubro-negro, o atacante teve de conviver com a expectativa de ser a próxima estrela da base. É o cenário atual de Endrick, Luis Guilherme e Estêvão.
– Os garotos são nota 10, não tenho nem o que falar. Desde quando cheguei aqui me trataram super bem, tenho uma amizade muito boa com eles. A gente brinca, zoa, sabe sempre o momento certo das coisas. Fico bastante feliz por eles estarem desfrutando muito disso.
Luis Guilherme e Lázaro comemoram gol do Palmeiras na Libertadores
Cesar Greco
– O jogador quando sobe para o profissional é completamente diferente da base. Você está lidando com gente de 30 anos, 35 anos e pega gente de 16, 17 anos, que tem muito a amadurecer ainda, a evoluir. Então eu fico bastante feliz de ver o Estêvão, o Luis, o Endrick, com a idade que eles têm e desempenhando muito bem. Eu, como amigo, fico mais feliz ainda. Você vê o trabalho que eles fazem, a humildade. Torço para que eles conquistem o mundo – completou.
E o futuro?
Ainda vinculado ao Almería, Lázaro pode ficar ao menos até o meio de 2025 por empréstimo, e o Palmeiras ainda tem a opção de compra.
Com contrato a princípio até o fim do ano, ele admitiu que a possibilidade de disputar o novo Mundial de Clubes, entre junho e julho de 2025, também o motivou a deixar a Europa e acertar com o Verdão.
– (O Mundial influenciou) Nesse processo de vir para cá. Fiquei bastante entusiasmado por isso, venho trabalhando, aproveitando cada oportunidade. Então, é aproveitar cada dia, com um passo de cada vez. Tenho certeza que as coisas estão fluindo assim, do jeito que está acontecendo.
– No final de tudo tem tudo para dar certo. É continuar desse jeito, com muita humildade com meus pés no chão e ir trabalhando que no final de tudo, que se Deus quiser, eu e o Palmeiras, a gente possa estar sorrindo juntos.
Lázaro durante treino do Palmeiras na Academia de Futebol
Cesar Greco
O Verdão desembolsou 1 milhão de euros (R$ 5,4 milhões) pelo acordo com o Almería e se renová-lo por seis meses terá de pagar mais 500 mil euros (R$ 2,7 milhões).
A opção de compra de 80% dos direitos do atacante é de 12 milhões de euros (R$ 65,4 milhões), mas se decidir acioná-la o Verdão abaterá o valor já investido nos empréstimos. Ou seja, a aquisição em definitivo sairia por 10,5 milhões de euros (R$ 57,3 milhões).
+ Veja mais notícias do Palmeiras
Mais Lidas
🎧 Ouça o podcast ge Palmeiras🎧
+ Assista a tudo do Palmeiras na Globo, sportv e ge

Veja também  Boca Juniors x Estudiantes - Copa da Liga Argentina 2023 - Ao vivo - globoesporte.com

Powered by WPeMatico

Origem da Noticia
https://ge.globo.com/futebol/times/palmeiras/noticia/2024/05/08/lazaro-diz-como-controla-obsessao-pelo-gol-e-explica-por-que-palmeiras-e-f-luta-ate-o-fim.ghtml
Autor:

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: