Sobe e desce: veja quem está em alta e em baixa no Fortaleza no primeiro semestre


O ge detalha quem foi bem e quem foi mal durante a primeira metade do ano O Fortaleza viveu um bom primeiro semestre, apesar de somar algumas eliminações em competições importantes. O pentacampeonato estadual em cima do principal rival, o Ceará, aliviou um pouco do que o torcedor poderia cobrar, principalmente após a eliminação das semis do Nordestão. O time não foi para a fase de grupos da Libertadores, mas classificou ao mata-mata da Sul-Americana. Na Copa do Brasil, deu “azar” de encarar o forte Palmeiras, mas no Brasileiro, segue firme no meio da tabela, superando – com folga – o péssimo início em 2022.
Após o primeiro semestre, o ge analisa as peças do elenco e mostra quem está em alta e quem está em baixa. Confira.
Fortaleza perde para Flamengo fora pela Série A do Brasileiro
Em alta ⬆️
João Ricardo: Depois que assumiu a meta do Tricolor, ganhou sequência e não saiu mais da posição. O arqueiro passa segurança no gol, faz defesas importantes e chegou até a pegar pênalti (embora no rebote tenha sofrido o gol). Já soma 19 jogos pelo Leão.
Bruno Pacheco: É o dono da lateral esquerda desde que chegou ao Fortaleza. Seguro, constante, marcador e bom apoiador no ataque. Tem 27 jogos, sendo 25 como titular, além de quatro assistências distribuídas.
Titi: Teve apresentações complicadas no início da temporada, mas na reta final do primeiro semestre cresceu em campo e passou a comandar a defesa tricolor. É o principal nome do setor do time, tanto que foi titular em 36 dos 37 jogos que disputou.
Brítez: Constância talvez seja a palavra para o zagueiro. Brítez passa segurança na zaga e cresce em jogos importantes. Difícil tirá-lo da titularidade. Só quem consegue são os cartões (já são 11 amarelos e um vermelho).
Fortaleza, San Lorenzo, Brítez
Mateus Lotif / Fortaleza EC
Caio Alexandre: Talvez o nome mais regular do time. Caio Alexandre é o motor do meio-campo do Leão. Quando não vai bem, o time sente. Importante na recomposição, na saída de bola e no elemento surpresa do ataque, o volante é peça-chave para o Fortaleza na temporada. São 38 jogos (36 como titular) e quatro gols marcados.
Hércules: O jovem atleta é a grande joia do time cearense. Tem características semelhantes às de Caio Alexandre, mas com mais jogos (40) e gols (cinco) em 2023. A diretoria precisou tomar cuidado, inclusive, para não perdê-lo no mercado.
Calebe: Tem 36 jogos pelo Fortaleza no ano, sendo 24 como titular, além dos quatro gols marcados. Um deles ficou marcado na história do clube. O meia decidiu o pentacampeonato estadual para o Leão. Alterna sua presença no time titular, mas quando entra, muda a dinâmica do jogo, sendo peça importante no elenco tricolor.
Lucero: Chegou para ser o artilheiro da equipe e tem cumprido o acordado. Já são 15 gols marcados pelo Leão nas 35 partidas em que entrou em campo. O argentino tem poder de decisão e é o dono da posição.
Thiago Galhardo: É o vice-artilheiro do time na temporada com 14 gols, mas não marca há oito partidas. Por saber do potencial do jogador, é natural que a cobrança seja maior. Apesar da seca de gols, é o tipo de jogador que com um toque na bola, pode mudar a história da partida.
Cruzeiro, Fortaleza, Lucero, Calebe
Bruno Oliveira / Fortaleza EC
Em baixa ⬇️
Fernando Miguel: Alternou boas e más apresentações, foi cobrado e aplaudido pelo torcedor. No entanto, foi parar no Departamento Médico. Está em transição e pode voltar a disputar posição, mas com João Ricardo em boa fase, fica difícil para FM. Tem 25 jogos pelo Leão.
Ceballos: Possivelmente é o jogador do elenco tricolor que mais ouviu reclamações da torcida. Brayan não conseguiu se firmar no time de Vojvoda, apesar das chances recebidas. Deve deixar o clube na janela de transferências. Somou apenas 15 jogos como titular.
Lucas Esteves: Outro que praticamente não teve tempo de bola, com apenas seis jogos. Não apresentou um bom futebol até aqui.
Lucas Crispim: Outro que precisa mostrar o bom futebol de outras temporadas. Tem apenas vinte jogos no ano e três gols marcados. Tem futebol para melhorar as performances.
Pikachu: Quando voltou do futebol japonês, Yago Pikachu elevou as expectativas do torcedor após o 2022 fantástico pelo Fortaleza. Mesmo com os sete gols e as sete assistências nos 40 jogos de 2023, o futebol vistoso e eficiente do último ano não entrou em campo no atual. O pênalti perdido contra o Flamengo deixou ainda mais o torcedor na bronca.
Pikachu em jogo do Fortaleza do PV
Mateus Lotif/FEC
Guilherme: Ganha oportunidades, mas não consegue aproveitá-las. Guilherme até marcou seus gols (4) em 2023 (foi titular em nove dos 26 jogos), mas não conseguiu mostrar o bom futebol que era esperado.
Na mesma 🔄
Maurício Kozlinsky: Pouco atuou na temporada. Soma apenas sete jogos, mas seis gols sofridos. Teve boas apresentações, mas com a fase de João Ricardo, fica difícil disputar posição.
Tinga: Entre os titulares, talvez seja aquele que o torcedor mais pega no pé. Fazendo o balanço semestral, o polivalente jogador chegou a fazer boas apresentações e até um gol marcado contra o Atlético-MG. Tem 32 jogos na temporada.
Dudu: foi usado algumas vezes (19), mas não conseguiu mostrar a que veio. Tem um gol marcado e duas assistências distribuídas.
Benevenuto: Peça-chave do time em 2022, Benevenuto não conseguiu ter regularidade ao longo de 2023. Não comprometeu, mas também não se destacou.
Silvio Romero: Com nove gols em 31 jogos, é possível que Romero alcance os 14 gols de 2022. Mas aqui temos outro caso de jogador que elevou expectativas e, por isso, o sarrafo acaba se tornando maior.
Zé Welison: Ganhou algumas oportunidades e teve o seu bom momento na temporada, mas não conseguiu se firmar. Soma 38 jogos (36 como titular) e quatro gols marcados.
Sammuel: Começou a temporada ganhando oportunidades entre os titulares e até fez o torcedor levantar a sobrancelha com a possibilidade de ganhar mais tempo de bola. No entanto, voltou para a reserva e não voltou mais ao time titular. Tem dez jogos no ano.
Zanocelo: Chegou com boas expectativas para o meio, mas não conseguiu engatar boas partidas. Tem 12 jogos no ano e um gol marcado. Precisa – e pode – crescer em campo.
Romarinho: Um caso de muita transpiração e pouca inspiração. Romarinho se esforça em campo, mas não consegue engatar sequências.
Pochettino: Apesar dos bons números (40 jogos, cinco gols e seis assistências), o meia não consegue ter estabilidade no time titular. Tem lampejos de ótimo futebol, mas precisa de mais constância.
Lucas Sasha: Pelo que já mostrou na temporada anterior, Sasha precisa apresentar mais. O bom futebol de 2022 não o acompanhou até 2023, tanto que tem apenas 10 jogos como titular nas 16 partidas que fez.

Veja também  VÍDEO: Bastidores de operação na Amazônia mostra destruição de balsas do garimpo ilegal

Powered by WPeMatico

Origem da Noticia
https://ge.globo.com/ce/futebol/times/fortaleza/noticia/2023/07/07/sobe-e-desce-veja-quem-esta-em-alta-e-em-baixa-no-fortaleza-no-primeiro-semestre.ghtml
Autor: {authorlink}

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: