Unicentro: 33 anos promovendo crescimento social, científico, cultural e econômico


Em 13 de junho de 1990 era criada a Universidade Estadual do Centro-Oeste, com estrutura multi-câmpus, e sedes em Guarapuava e Irati O conhecimento transforma vidas e realidades. A frase, que até pode parecer um chavão, não poderia ser mais verdadeira. Quanto mais acesso à educação uma população tem, maior é a mudança por que passa em inúmeros aspectos – que vão do social, passando pelo científico e cultural, até o econômico. E a Universidade Estadual do Centro-Oeste é prova disso. Desde que foi criada, em 13 de junho de 1990, a Unicentro promoveu o desenvolvimento não apenas de Guarapuava e Irati – cidades onde tem sede, mas em toda a região centro-sul e centro-oeste do Paraná. Esses 33 anos de atividades são repercutidos pelos atuais gestores – professores Fábio Hernandes e Ademir Fanfa Ribas, respectivamente, reitor e vice-reitor; Andrea Nogueira Dias, Christine Vargas e Ricardo Miyahara, diretores do câmpus Irati, Santa Cruz e Cedeteg.
Desde 1990, o câmpus Santa Cruz passou por uma série de ampliações para abrigar mais cursos e receber um número maior de alunos
Divulgação Unicentro
Importância da Unicentro
Fábio: “Durante essas mais de três décadas, muitas foram as ações que impactaram na melhoria e no desenvolvimento da nossa região. Haja vista, primeiro, se você pensar ao redor dos nossos câmpus universitários como, por exemplo, o câmpus de Irati e os dois câmpus aqui de Guarapuava. O quanto, nos bairros e nas redondezas desses três câmpus, a presença da universidade fez a valorização das imediações. Também a influência na economia local, haja vista que, além dos nossos cerca de 9.000 estudantes, além da economia que eles movimentam, também a dos nossos servidores. Quantos servidores vieram para Guarapuava, para Irati, de outros municípios, de outros estados, trazendo ali também mais renda, circulando a economia? Então, a Unicentro, além disso, nós tivemos ações com a extensão, com o apoio à comunidade na área de saúde, na área de empreendedorismo, na área da agricultura, da agricultura sustentável, da agricultura com o pequeno agricultor, o apoio ao pequeno agricultor. Além de circular a economia, temos projetos com as áreas de preservação ambiental em vários municípios da região, que geram ICMS Ecológico que faz a diferença para aqueles municípios. Então, foram muitas as ações, têm sido muitas e eu tenho certeza que muitas outras virão, por exemplo, na área de saúde”.
Ademir: “Uma universidade pública, gratuita e de qualidade, como é a Unicentro, marca momentos de uma região e, a Unicento, desde a época da Fafig e da Fecli, que juntas se tornaram a universidade, faz com que a região centro-sul do Paraná tenha exemplos de profissionais qualificados, preparados, que entraram no mercado de trabalho. Isso transforma as pessoas, isso gera emprego, gera renda, gera desenvolvimento, gera sustentar a família e, com certeza, esses profissionais se espalharam pelo mundo inteiro. Hoje nós temos alunos no Brasil e fora do Brasil com experiências profissionais importantes, com ações que fazem a diferença na sociedade. Então, isso é de fundamental importância para a nossa região ter uma universidade como a nossa”.
Andrea: “A Unicentro, câmpus Irati, é uma instituição pública, gratuita que há 33 anos vem atendendo em torno de 15 municípios da nossa região com ensino superior de qualidade. Nós atendemos as demandas das instituições e das empresas de nossa região e também de várias partes do país, dando a oportunidade para as pessoas ingressarem no ensino superior, contribuindo para o desenvolvimento econômico e social da nossa região e do país como um todo, por abranger estudantes tanto advindos da região, dos nossos municípios aqui pertencentes ao campus de Irati, como também de várias partes do país e também intercâmbios fora do país”.
Christine: “Nós temos as nossas superações de uma pandemia em que a universidade deu um passo muito grande em termos de aprendizado, em termos de extensão, onde os eventos todos estão sendo um sucesso e sempre foram, mas essa volta veio com um outro olhar, com outro conceito e, principalmente, em termos de estrutura, tudo aquilo que a gente está conseguindo em termos de reforma, em termos de verba, em termos de fomento para que a gente consiga ter uma universidade mais acessível, não excludente para todos nossos acadêmicos, professores e funcionários”.
Ricardo: “A Unicentro tem um papel fundamental no desenvolvimento da nossa região, na região onde está inserida, na região centro-oeste, centro-sul do estado do Paraná, principalmente para a formação de profissionais altamente qualificados. Nesse sentido, a disseminação do conhecimento científico produzido aqui na universidade – além da cultura, da tecnologia e da inovação – é essencial para formar pessoas eticamente responsáveis, formando cidadãos qualificados e profissionais que vão atuar na transformação da nossa região. Esse papel é de fundamental importância porque estamos inseridos em uma das regiões mais pobres, com menor IDH da região, do estado do Paraná”.
O câmpus Irati oferta 13 cursos de graduação gratuitos, entre bacharelados e licenciaturas
Divulgação Unicentro
Trajetória
Andrea: “A Unicentro surgiu na década de 1990,da fusão de duas faculdades – a Fecli e a Fafig, com quatro cursos superiores. Com bastante dedicação, trabalho e muito empenho de toda a comunidade acadêmica e também da comunidade externa, atualmente, a Unicentro tem 43 cursos de graduação e vários cursos de pós-graduação lato-sensu e stricto-sensu. Atuando no ensino, em projetos de pesquisa com excelência e também em projetos de extensão, atendendo tanto a comunidade interna quanto a comunidade externa. Sendo uma instituição relativamente jovem em comparação com outras conseguiu, nesses 33 anos, se estabelecer com índices de reconhecimento de qualidade tanto a nível nacional quanto a nível internacional”.
Christine: “Nós queremos revitalizar. Nós queremos dar uma visão de tecnologia e inovação dentro da universidade. Nós queremos crescer junto com todo esse conceito que hoje está presente dentro das universidades, que é fazer com que o aluno abra campos de trabalhos, não especificamente dentro dos seus cursos, mais que ele consiga inovar e abrir novas fronteiras dentro desses cursos também”.
Ricardo: “A Unicentro é referência na educação superior na nossa região, é a universidade estadual que mais cresce e tem crescido nos últimos tempos, nos últimos anos. É referência em pós-graduação e em desenvolvimento científico e tecnológico. Ainda é importante frisar o quanto a nossa universidade tem feito de atendimento à população. Por exemplo, aqui no câmpus Cedeteg, as clínicas da área da saúde humana e animal têm atendido na casa de 22 a 24 mil pacientes anuais. Isso mostra o quanto a nossa universidade é importante na atuação direta na sociedade com seus cursos de graduação, pós-graduação e nas atividades de extensão focadas diretamente na sociedade”.
Christine: “Através dos projetos extensionistas, nós conseguimos trazer a comunidade aqui e, quando não conseguimos, nós fomos ao encontro dels. Como o Céu das Artes, que nós fomos lá e fizemos a comunidade estar presente dentro da universidade; como todos os eventos que nós estamos tendo aqui na universidade, que fazem com que a universidade seja, realmente, vista como um fruto de trabalho e que ela contribui para todas as profissões, para toda a sociedade”.
Ademir: “Se a gente individualizar os resultados da universidade, nós vamos ver que pessoas contribuíram para o seu desenvolvimento, que pessoas conseguiram ser melhor depois de passar na universidade e conseguir a sua profissão, a sua ação na sociedade. Se nós pensarmos de forma coletiva, nós vamos ver que a universidade traz benefícios para a comunidade através de ações de desenvolvimento social, como as ações de extensão que nós temos em vários aspectos da região, com as pesquisas que têm um grande desafio de fugir dos muros da universidade, de trazer melhoria na qualidade de vida das pessoas”.
O terceiro câmpus universitário da Unicentro é o Cedeteg, que também funciona em Guarapuava
Divulgação Unicentro
Os próximos 33 anos
Ricardo: “A gente tem como papel fundamental colaborar com o desenvolvimento social, econômico e cultural dessa região em que estamos inseridos e desejamos que, nos próximos anos, a universidade seja reconhecida como referência regional de excelência na formação de graduação, de pós-graduação, excelência na formação acadêmica e pela produção do conhecimento, seja ele científico, tecnológico, inovador e, também, pelas suas ações de extensão, levando sempre como base a sustentabilidade e integração com a sociedade e cultural. Isso faz com que, no futuro, sejamos reconhecidos pelo fortalecimento da integração da universidade com a sociedade, priorizando a educação pública – a educação pública, gratuita e de qualidade, que são os papeis fundamentais da nossa universidade”.
Andrea: “Espera-se para o futuro que a Unicentro continue evoluindo, com a consolidação dos cursos já existentes e criação de novos cursos que atendam as demandas da sociedade, bem como a ampliação de toda a nossa estrutura física e de pessoal. A Unicentro vem investindo na área de inovação tecnológica, com olhar a atender as oportunidades do mercado e formar profissionais qualificados. Também é importante ressaltar que a Unicentro vem atuando na melhoria, na qualidade de vida dos seus servidores do corpo discente, buscando oportunizar um ambiente humanizado”.
Ademir: “A gente tem a expectativa que tudo sempre melhore, que a gente possa sempre fazer melhor. Com certeza, com mais qualificação, com mais conhecimento, com mais comprometimento, com mais efetividade, a Unicentro vai crescer cada vez mais. Porque a Unicentro não pode ser um conjunto de pedras, de tijolo, de cimento, de cal – isso são estruturas físicas que são construídas e, com o tempo, precisam ser reformadas e são inanimadas, seres inanimados. A Unicentro é construída por pessoas e as pessoas que transformam e fazem a Unicentro ser o que ela é. Eu acredito muito nas pessoas que vivem a universidade, os novos profissionais que estão chegando através do concurso público para agentes universitários, os novos professores que vão vir do concurso público para professores. Vão conseguir contribuir e construir uma universidade cada vez melhor”.
Fábio: “Além do compromisso de formar excelentes profissionais, também o de formar excelentes cidadãos, pensando em um país melhor, um país mais justo. Agora, com a curricularização da extensão, nós estaremos mais ainda inseridos na comunidade. O que é a curricularização? A curricularização é desenvolvermos ações junto à comunidade, ações a partir dos nossos cursos de graduação. Então, nossos estudantes, nossos graduandos estarão mais inseridos ainda mais na sociedade, teremos mais ações da área das agrárias, da área das ciências humanas, da área das ciências sociais, das exatas, de todas as nossas áreas de conhecimento. Mas, também, na conscientização da comunidade. Temos grandes projetos que pensam nos ODS’s, que pensam na agenda 2030. Então, a Unicentro estará mais comprometida ainda com a distribuição de renda, além da educação de qualidade. Com a equidade de gênero, com o combate à violência, com a agricultura sustentável, com os nossos 17 objetivos de desenvolvimento sustentável. Então, o que vocês podem esperar, com certeza, dessa Unicentro é ela estar ainda mais engajada com a sociedade no combate à violência, no combate à discriminação, no combate a todo tipo de violência, como já dito, mas, principalmente, em uma sociedade mais justa e igualitária”.

Veja também  Assista aos telejornais da TV Liberal

Powered by WPeMatico

Origem da Noticia
https://g1.globo.com/pr/parana/especial-publicitario/universidade-estadual-do-centro-oeste/ensino-superior-publico-gratuito-e-de-qualidade/noticia/2023/07/07/unicentro-33-anos-promovendo-crescimento-social-cientifico-cultural-e-economico.ghtml
Autor: {authorlink}

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: